Setembro 2016

Subversão

O dia 12 de setembro finalmente chegara, e numa questão de um par de horas estava a desenrolar-se totalmente fora do plano. O vazio que se instalara dentro do meu estômago crescia descontrolado e eu só queria ir para casa, mas já não tinha uma: a da Póvoa de Lanhoso estava desfeita, a de Lisboa ainda não era minha. Os meus pais não viviam o conto de fadas em que eu acreditava. E eu já não era a pessoa que achava ser; já não me conhecia: se até à véspera sabia como iria – ou, pelo menos, como deveria – reagir às diversas situações, agora duvidava de mim, dos meus conceitos e das minhas decisões. Continuar a ler

Anúncios
Standard
Setembro 2016

Não é Fé é Morte

A minha mãe, quando me olhou com os olhos de pena que as notícias referentes a doenças implicam, disse-me que estava na altura de acreditar em algo maior. Em alguma coisa, nem que levemente, que me trouxesse a força que o meu corpo já não tinha.
Como poderia eu fazê-lo? Sentia o corpo pedir por essa ideia, mesmo relembrando os momentos em que a Igreja me fazia estremecer, mas não era capaz de me deixar ir.

Continuar a ler

Standard
Setembro 2016

Lembra-te

primeira parte  AQUI

Foi na véspera de eu voltar à escola que tudo mudou. Estava a limpar umas mesas no Flor e entraram três homens de fato, direitos ao meu pai. O mais alto deles começou a sussurrar algo enquanto os outros dois se viravam de costas para eles. Lembro-me de achar tudo muito estranho neles mas assustei-me quando vi o meu pai ficar branco, o queixo pendurado. Olhou para mim muito devagar e o meu impulso foi correr até ele. Um dos outros dois homens travou-me, agarrando-me nos braços e foi o que fez acordar o meu pai daquele transe esquisito.

Continuar a ler

Standard
Setembro 2016

TEMA PARA SETEMBRO: Crise de Fé

Este mês, a vossa personagem principal tem uma crença muito forte em algo. Pode ser uma crença religiosa, ou a crença referir-se apenas a valores que lhe foram passados pelos pais, pela sociedade, etc. Por exemplo, a crença de que aos X anos tem que estar casado/a, que depois da Universidade tem que ir dar uma volta ao Mundo antes de se entregar à vida que é esperado dele/dela, uma crença num deus ou religião,…

Portanto, o desafio do mês é:

  1. Definir que fé/crença é essa;
  2. Definir de onde ela veio; da cabeça da própria personagem, de livros que leu na infância, dos pais, da escola, etc.
  3. Inventar um momento na história em que algo aconteça à vossa personagem que seja, aparentemente, incompatível com aquilo em que acredita. Como é que a vossa personagem reage a isto? Escrevam a história à volta disso ou façam desse um momento determinante na história.

Dúvidas? cpr.grupodeescrita@gmail.com 🙂

Standard