Terra perdida

– Tudo isto – a vida, o mundo, as pessoas que nascem e que morrem – é circular. Está tudo interligado e há uma razão para qualquer acontecimento, por mais insignificante que pareça. E todos temos um propósito para cada momento. Podes procura-lo e concretiza-lo conscientemente, ou podes tentar fugir-lhe. Mas ele vai sempre alcançar-te. Estares aqui não é um privilégio puro. Para tu seres tu, teve de haver um equilíbrio e alguém teve de deixar espaço livre para ti. Continuar a ler Terra perdida

Anúncios

Naquele dia cheirava a flores

Hoje o dia estava completamente diferente, como se o Universo estivesse a criar um cenário diferente para este episódio da minha vida, um cenário que já antevia o pior. Este dia já tinha começado há muito tempo, eu é que não quis ver. Continuar a ler Naquele dia cheirava a flores

O quarto de infância

O alívio – agora sei-o – deve-se ao facto deste ser o destino que escolho e tão bem me acolhe quando preciso de lamber as feridas. Feridas essas que ganho noutros sítios, longe daqui. A vista da ponte é a materialização da chegada e a representação de um abraço materno que nos conforta e assegura que vai tudo ficar bem no final e que, se algo não está bem, então não é o final. Algo assim.

Continuar a ler O quarto de infância